Saiba a Diferença entre SPC e SCPC

Muitos são os órgãos de proteção ao crédito, que trabalham com listas de inadimplentes, ou seja, quando se faz compra parcelada, financiamento, empréstimos e não se paga em dia estas dívidas, o nome do devedor é incluído nestas listas e o crédito fica restrito para esta pessoa, até que ela quite suas contas. Mas, por estes órgãos terem siglas e nomes parecidos, muitas pessoas se confundem com o significado de cada um e a diferença entre eles. Por isso, hoje vamos falar a diferença entre o SCPC e o SPC.

 

SPC significa Serviço de Proteção ao Crédito e assim como o nome já diz, cuida das informações sobre bons e maus pagadores. O serviço surgiu em 1955 com a função de centralizar os dados do comércio, o mesmo é administrado pela empresa SPC Brasil. Já o SCPC presta o mesmo serviço que a primeira empresa e surgiu depois de uma divisão dentro do próprio SPC, em 2010. A empresa que administra o SCPC é a SPC PLUS.

 

Basicamente o SCPC foi criado para modernizar e informatizar os dados de crédito dos brasileiros e, as diferenças entre as duas são bem poucas e se resumem apenas a quem comanda cada uma delas. Portanto, tanto uma quanto a outra fazem o trabalho de orientar credores na hora de conceder crédito, financiamento ou empréstimos. Por isso, é importante estar com as suas contas em dia, para que seu nome não seja incluído em um destes órgãos de proteção ao crédito.

 

Com o final do ano, as comprinhas aumentam e consequentemente o acúmulo de dívidas. Por isso, fique atento quanto aos gastos de final de ano, para não exceder os limites financeiros que você tem. Agora, se você está com problemas para pagar suas dívidas e com contas atrasadas, faça uma consulta em seu CPF e saiba se seu nome consta em um dos órgãos citados ao longo deste artigo. Para isso, basta acessar nosso site www.megaconsultas.com.br e fazer uma consulta em CPF.

 

Além disso, lembre-se que se você está com as dívidas atrasadas, a melhor alternativa é buscar uma negociação. Dê prioridades para as contas que tenham juros mais altos, elevados e que são de maior dificuldade de negociação. Depois, tente conversar com o credor para qual está devendo e tente renegociar as parcelas, juros ou mesmo prazo de pagamento. O importante é tentar sanar as contas e fazer um planejamento de gastos existentes e de contas a serem pagas, para não se comprometer com o credor e no final não conseguir honrar com o prometido.

 

Em suma, cuide da sua vida financeira. Mantenha seu nome limpo e longe da lista de inadimplentes dos órgãos de proteção ao crédito. De tempos em tempos, faça uma busca em seu CPF para saber como está sua real situação no mercado.

 

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário logo abaixo!